Deficiência auditiva

Trata-se de um trabalho complexo, desenvolvido por uma equipe interdisciplinar composta por médico Otorrinolaringologista, Fonoaudiólogas, Assistente Social e Psicóloga, que visa a reabilitação do paciente com perda auditiva, a partir do uso de aparelhos auditivos.

Destina-se à população abrangida pela 16ª, 13ª e 8ª Coordenadoria Regional de Saúde, a partir dos 3 anos de idade.

Na concepção atual de Saúde Auditiva, a indicação do uso de próteses auditivas é uma indicação terapêutica de tratamento e depende de uma criteriosa avaliação do médico Otorrinolaringologista e da Fonoaudióloga.

O Serviço de Saúde Auditiva também disponibiliza para a comunidade da Macro Vales (16ª, 13ª e 8ª Coordenadoria Regional de Saúde), consultas com médico Otorrinolaringologista e exames audiológicos.

Realiza a triagem auditiva neonatal (teste de orelhinha) em bebês nascidos nas cidades que é referência. É um exame simples e indolor que detecta deficiências auditivas precocemente, evitando que comprometam o desenvolvimento da linguagem da criança. Também é referência para as coordenadorias citadas acima, para a realização do Bera Triagem nos bebês que falharem na triagem em seus municípios.

Desde 2013, o SUS disponibiliza aos pacientes usuários de aparelhos auditivos, com idade entre 5 e 17 anos, que frequentam a escola, o kit de Frequência Modulada (FM). Trata-se de um recurso de acessibilidade educacional para a pessoa com deficiência auditiva, que possibilita uma melhor captação e entendimento da fala em locais ruidosos, principalmente nas salas de aula.

Estrutura técnica

ASSISTENTE SOCIAL: Realiza grupos de acolhida onde orienta o paciente e/ou acompanhante quanto as rotinas do tratamento e a importância da adesão ao uso do aparelho auditivo e cuidados com o mesmo. Articula atendimentos e encaminhamentos junto à Rede de Apoio dos municípios.

FONOAUDIOLOGIA: Realiza as avaliações auditivas (Audiometria Tonal e Vocal, Imitanciometria, Emissões Otoacústicas, Potencial Evocado de Tronco Encefálico - BERA), a seleção, adaptação dos aparelhos auditivos, acompanhamento dos pacientes protetizados e as terapias fonoaudiológicas.

OTORRINOLARINGOLOGIA: Avalia e acompanha os pacientes encaminhados para a protetização, no que diz respeito às doenças relacionadas ao ouvido e a audição.

PSICOLOGIA: Entrevista o paciente para detectar o impacto emocional da perda auditiva, suas dificuldades no dia-a-dia, sentimentos de perda, suas aceitações, expectativas quanto ao uso e resultado do tratamento. Faz encaminhamentos psicológicos quando necessários para que o paciente seja atendido no município de origem.

Sequência do Tratamento

1º atendimento: Nesse dia o paciente é avaliado pelo médico Otorrinolaringologista, realiza exames auditivos e entrevista com fonoaudióloga, participa do grupo de acolhida e orientações com a assistente social e entrevista com a psicóloga.

2º atendimento: A área da fonoaudiologia seleciona e indica o aparelho auditivo que melhor se adapta as necessidades do paciente, realiza a avaliação do desempenho desses aparelhos através de exames específicos e realiza a entrega dos aparelhos auditivos juntamente com seus acessórios, fornecendo orientações quanto ao cuidado, o uso e manuseio dos mesmos.

3º atendimento: O paciente retorna em aproximadamente um mês após a entrega dos aparelhos auditivos para o monitoramento e acompanhamento da adaptação.

A partir desse atendimento, o paciente retorna anualmente para acompanhamento audiológico e revisão dos seus aparelhos auditivos, tendo a possibilidade de acessar ao serviço sempre que sentir necessidade, através de agendamento prévio.